Primeiro-ministro da Guiné-Bissau não aceita demissão de ministro da Economia - Plataforma Media

Primeiro-ministro da Guiné-Bissau não aceita demissão de ministro da Economia

O primeiro-ministro da Guiné-Bissau, Nuno Gomes Nabiam, disse hoje que não aceitou o pedido de demissão do ministro da Economia, Vitor Mandinga, apresentado no início deste mês

“Não aceitei a demissão do ministro da Economia”, afirmou Nuno Nabiam aos jornalistas, quando questionado sobre o assunto.

O chefe do Governo guineense falava após a entrega na Assembleia Nacional Popular do Orçamento de Estado para 2021, que vai ser discutido na próxima sessão ordinária do parlamento, com início previsto para o próximo dia 30.

“Foi uma decisão própria do ministro. É uma peça fundamental neste Governo, estamos a tentar conversar e gerir a situação da melhor forma para ver se volta a assumir as funções”, salientou Nuno Nabiam.

O ministro da Economia da Guiné-Bissau, Vitor Mandinga, apresentou o pedido de demissão do cargo a 05 de novembro por considerar que foi esvaziado das suas competências orgânicas com a nomeação do vice-primeiro-ministro, Soares Sambú, que ficou também responsável pela coordenação da área económica.

Vitor Mandinga referiu também que outra razão que o levou a apresentar o pedido de demissão foi o facto de não subscrever o Orçamento Geral de Estado para 2021, porque o mesmo não tem em conta a reforma da Função Pública, que considera essencial para o desenvolvimento do país.

O chefe de Estado guineense, Umaro Sissoco Embaló, tinha já afirmado aos jornalistas que não tinha recebido qualquer pedido para exonerar o ministro da Economia.

Artigos relacionados
Guiné-BissauPolítica

Especialistas divergem sobre constitucionalidade da nomeação de um vice-PM na Guiné-Bissau

Guiné-BissauPolítica

Nomeação "histórica" do vice-primeiro-ministro na Guiné-Bissau é inconstitucional

Guiné-BissauPolítica

Presidente da Guiné-Bissau nomeia Soares Sambú vice-primeiro-ministro

Assine nossa Newsletter