Estudo da Coronavac chega à fase final com número mínimo de infectados

Estudo da Coronavac no Brasil chega à fase final com número mínimo de infectados

Eficácia do imunizante deve ser divulgada na primeira semana de dezembro e enviada à Anvisa

O estudo da fase 3 da Coronavac, vacina produzida pela empresa chinesa Sinovac e trazida ao país em parceria com o governo de São Paulo, atingiu o número mínimo de voluntários infectados para poder ter a análise de sua eficácia realizada.

A expectativa do Instituto Butantan, patrocinador da pesquisa no país, é de que o Comitê Internacional Independente, que acompanha o ensaios, analise esses dados e possa divulgar na primeira semana de dezembro a eficácia da vacina.

Leia mais em Folha de S. Paulo

Artigos relacionados
BrasilFuturo

Covid-19: Brasil deve assinar 'cartas de intenção' sobre cinco vacinas, mas não garante compra

BrasilChina

Wuhan volta a detetar coronavírus em carne importada do Brasil

BrasilSociedade

O primeiro lote da vacina chinesa, a Coronavac, chegou ao Brasil

ChinaSociedade

Covid-19: Estudo indica que vacina chinesa Coronavac é "segura"

Assine nossa Newsletter