Disney+ enfrenta o poderio da Netflix no Brasil em novo ato da guerra do streaming - Plataforma Media

Disney+ enfrenta o poderio da Netflix no Brasil em novo ato da guerra do streaming

Grupo americano faz lançamento na América Latina e tenta diminuir vantagem da concorrente.

Bob Chapek, o novo CEO da Disney, falou do lançamento na conferência para investidores na semana passada, ao anunciar os resultados em 2020, o ano da Covid-19.

“O ponto positivo em meio à pandemia é o nosso negócio direto ao consumidor”, disse, sobre o streaming por assinatura, “a chave para o futuro” da empresa. “Um ano atrás lançamos a Disney+, que superou as nossas maiores expectativas. E, na terça, vamos lançar na América Latina.”

Ele lembrou, nesta ordem, os mercados brasileiro, mexicano e argentino. Disse que espera mostrar os primeiros números daqui a três semanas, em mais uma apresentação.
A Disney+ chega à região com o grupo cantando vitória, embalado pelo entusiasmo de Wall Street e seus analistas. Na avaliação da Bloomberg, a “Disney já venceu as guerras do streaming” —”streaming wars” no original, trocadilho com sua franquia “Star Wars”.

Num ano, o grupo americano alcançou 120 milhões de assinaturas e está na sombra da Netflix, que tem hoje 195 milhões ao redor do mundo.

A Disney teve mais de US$ 1 bilhão de prejuízo com os parques temáticos e viu as vendas dos estúdios caírem pela metade, mas suas ações saltaram mais de 7% em Nova York depois dos anúncios da semana passada, por causa do streaming —que reúnem Disney+, que saiu de zero para 73,7 milhões de assinantes, mais Hulu e ESPN+, seus outros serviços nos Estados Unidos.

Artigos relacionados
Lifestyle

Série de Meghan Markle cancelada pela Netflix

Lifestyle

Disney tirou Depp dos 'Piratas do Caribe' por acusações de abuso

ChinaSociedade

Disney encerra parque em Xangai face a pior surto na China

LifestyleSociedade

Netflix fará cobrança a quem emprestar a própria senha

Assine nossa Newsletter