Plano de Biden vê China como ameaça e cria subsídios à produção americana - Plataforma Media

Plano de Biden vê China como ameaça e cria subsídios à produção americana

Num texto que detalha partes de seu plano de governo na área externa, o democrata Joe Biden cita quase 30 vezes a China e afirma que vai garantir um futuro feito em toda a América e por todos os trabalhadores americanos

Ele propõe seis linhas de ação para recuperar a manufatura e a inovação americanas, com propostas que incluem concessões de subsídios, exigência de conteúdo nacional e transferências de fábricas para os EUA.

A proposta é vista por analistas como uma tentativa de rivalizar com o discurso do presidente Donald Trump, mas sem grandes efeitos práticos e de difícil implementação —mas está no texto.

Em relação à China, é esperada uma relação mais estável e diplomática com o concorrente asiático, mas sem deixar de lado a disputa que já se desenhava em governos anteriores e deve se acirrar nos próximos anos, em especial, na área de alta tecnologia.

Após a posse, o mais importante será acompanhar como essas e outras políticas na área econômica irão contribuir —ou não— para uma recuperação mais rápida da economia mundial e para uma desvalorização do dólar frente a moedas de países emergentes.

Leia mais em Folha de S.Paulo

Este artigo está disponível em: English

Related posts
Política

Para os cubanos da ilha, qualquer presidente é melhor que Trump

Política

Pandemia foi fator decisivo para derrota de Trump

ChinaPolítica

Redes sociais chinesas festejam vitória de Biden, órgãos oficiais recomendam cautela

BrasilPolítica

Presidente da Câmara dos Deputados do Brasil felicita Biden, Bolsonaro mantém silêncio

Assine nossa Newsletter