Cabo Delgado: Mais de 11.200 pessoas fugiram para Pemba em duas semanas - Plataforma Media

Cabo Delgado: Mais de 11.200 pessoas fugiram para Pemba em duas semanas

A última vaga de deslocados provocada pelo conflito em Cabo Delgado, norte de Moçambique, colocou mais de 11.200 pessoas em fuga para a capital provincial, Pemba, em duas semanas, segundo os mais recentes dados das Nações Unidas.

“De 16 a 29 de outubro, pelo menos 219 barcos transportando 11.280 pessoas chegaram a Pemba, capital da província de Cabo Delgado”, escreve o Escritório das Nações Unidas para a Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA) numa atualização de segunda-feira.

Segundo a organização, o fluxo diminuiu nos últimos dias.

“Quase metade das pessoas deslocadas são crianças e pelo menos 25 estão sozinhas, de acordo com a Organização Internacional das Migrações (OIM)”, acrescenta. 

Nesta vaga de deslocados foram identificadas 19 mulheres grávidas, mais de 100 idosos, cerca de 180 pessoas com necessidade de assistência médica imediata e 10 pessoas com deficiência. 

O Governo e os parceiros humanitários prestaram assistência a mais de 8.300 pessoas que chegaram a Pemba, dando-lhes comida, água e serviços de higiene, saúde e proteção.

Testemunhos ouvidos pela Lusa nas últimas semanas dão conta de fugas em barcos à vela, à deriva do vento durante três a quatro dias, sem água ou comida, com algumas pessoas a morrer durante a viagem.

A província de Cabo Delgado, norte de Moçambique, é palco há três anos de ataques armados desencadeados por forças classificadas como terroristas.

Há diferentes estimativas para o número de mortos, que vão de mil a 2.000 vítimas.

O primeiro-ministro moçambicano disse na quarta-feira no parlamento que “as ações terroristas” já provocaram 435 mil deslocados internos.

Este artigo está disponível em: English

Related posts
MoçambiqueMundo

Serviços de saúde em Moçambique recusam grávidas em fuga

LusofoniaMoçambique

Galp aponta paz como condição para investimentos em Moçambique

MoçambiquePolítica

Milicianos matam dois supostos insurgentes

MoçambiquePolítica

Cimeira avalia hoje missão militar conjunta da SADC em Moçambique

Assine nossa Newsletter