UE: Discussão sobre Cabo Delgado fica pela rama - Plataforma Media

UE: Discussão sobre Cabo Delgado fica pela rama

País lusófono não foi prioridade na discussão do Conselho dos Negócios Estrangeiros da União Europeia

Na passada segunda-feira, os ministros dos Negócios Estrangeiros da União Europeia (UE) reuniram-se no Luxemburgo para debater em Conselho dos Negócios Estrangeiros, entre diversas coisas, a situação em Cabo Delgado, no norte de Moçambique, conforme constava em agenda.

Contudo, o relatório final da reunião nada fala sobre aquele país lusófono, dando mais ênfase às sanções à Bielorrússia e às relações com a Rússia. Numa sucinta declaração, enviada ao PLTAFORMA por e-mail, a assessoria do Conselho da UE explica que “Moçambique foi abordado pelos ministros brevemente no âmbito dos assuntos atuais. Não houve conclusões escritas sobre o assunto”. E mais não acrescenta.

Era esperado que Moçambique fosse tema forte de debate durante a reunião, após o anúncio, na passada sexta-feira, feito pelo embaixador da UE em Maputo, Antonio Sánchez-Benedito Gaspar, de que Bruxelas irá ajudar Moçambique no combate a grupos armados classificados como “terroristas” na província de Cabo Delgado, no norte do país.

Cumprem-se este mês três anos após o início dos ataques terroristas em Cabo Delgado. Mais de mil mortos, milhares de feridos, acima de 350 mil deslocados e diversas infraestruturas destruídas é o balanço provisório desta violência sem fim a vista que começou em Mocímboa da Praia no dia 5 de outubro de 2017. Desconhecem-se as razões do insurgimento que já foi assumido pelo Estado Islâmico.

Este artigo está disponível em: English 繁體中文

Related posts
MoçambiquePolítica

Ataques: PR diz que mandato das forças estrangeiras é solidário e visa salvar vidas

LusofoniaMoçambique

Lusófonos manifestam solidariedade com Moçambique, mas sem apoio concreto

MundoPolítica

Estado Islâmico e Al Qaeda ganham influência em África em 2021 - Estudo

MoçambiquePolítica

Cabo Delgado: Ministro da Defesa português ouvido hoje no parlamento

Assine nossa Newsletter