Trump foi o principal impulsionador de 'fake news' sobre a pandemia - Plataforma Media

Trump foi o principal impulsionador de ‘fake news’ sobre a pandemia

O Presidente dos Estados Unidos, o republicano Donald Trump, foi, possivelmente, a pessoa que mais contribuiu para a propagação da desinformação sobre a pandemia, segundo um estudo divulgado hoje pela Universidade Cornell.

De acordo com esta instituição académica, a Alliance for Science (“Aliança para a Ciência”), da Universidade Cornell, analisou cerca de 38 milhões de artigos, publicados em inglês, em órgãos de comunicação social tradicionais, entre 01 de janeiro e 26 de maio de 2020.

A investigação inclui artigos publicados, em particular, nos Estados Unidos, no Reino Unido, na índia, na Irlanda, na Austrália e na Nova Zelândia, assim como em alguns países de África e da Ásia.

Os resultados estão explanados no artigo científico de 13 páginas “Coronavirus misinformation: quantifying sources and themes in the covid-19 ‘infodemic’”.

O fenómeno foi denominado como ‘infodemia’, ou seja, uma ‘pandemia de desinformação’, pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

A Alliance for Science encontrou um total de 522.400 artigos publicados com informações falsas relacionadas com a pandemia da doença provocada pelo novo coronavírus.

“Descobrimos que as menções nos órgãos de comunicação social ao Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, dentro do contexto de desinformação sobre a covid-19 constituem, de longe, a maior parte da ‘infodemia’”, explicita o estudo.

As menções a Trump compõem “37,9% do conjunto” de ‘fake news’ sobre a covid-19.

Por essa razão, a Universidade Cornell concluiu o Presidente dos EUA “foi, provavelmente, o maior transmissor de ‘infodemia’ de desinformação” sobre a covid-19.

Contudo, o relatório também especifica que apenas 16,4% da desinformação espalhada pela ‘web’ foi alvo de verificação, “sugerindo que a maioria da desinformação sobre a covid-19 foi transmitida pelos media sem ser questionada ou corrigida”.

Entre as várias desinformações sobre a pandemia que relacionadas com Trump, a mais difundida foi a sugestão do chefe de Estado norte-americano, em 24 de abril, de uma injeção de desinfetante para combater o novo coronavírus.

A promoção da hidroxicloroquina como medicamento eficaz na prevenção e mitigação do SARS-CoV-2 também foi uma das desinformações de Trump com maior propagação.

Teorias da conspiração e alegadas curas para a covid-19 são os tópicos mais abundantes no ‘mar de desinformação’ sobre a pandemia.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de um milhão de mortos e mais de 34 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Related posts
ChinaHong Kong

EUA instam Hong Kong a “parar de atacar a comunicação social”

BrasilPolítica

EUA e Brasil comprometem-se com "parceria estratégica" e abordam metas ambientais

ChinaMundo

Presidente dos EUA Joe Biden prepara “para breve” novo diálogo com homólogo chinês

MundoPolítica

Texas vai permitir porte de armas em público sem qualquer licença

Assine nossa Newsletter