China cria nova zona de comércio livre em Hunan com foco nos países africanos - Plataforma Media

China cria nova zona de comércio livre em Hunan com foco nos países africanos

A China está a estabelecer um projeto piloto com várias zonas de comércio livro focando-se na economia digital, incluindo uma na província de Hunan, com a finalidade de estabelecer parcerias com os países africanos e a iniciativa da Faixa e Rota.

A 21 de setembro, o Concelho de Estado chinês lançou os planos para as novas zonas piloto em Pequim, Hunan e Anhui, aumentando as zonas de comércio de livre no país para 21.

Wang Shouwen, vice-ministro do comércio, disse que a medida mostra a determinação do país em procurar a abertura de alto nível e garantir a segurança e estabilidade das cadeias industriais e de abastecimento.

As zonas piloto de Hunan e Anhui vão cobrir áreas de 119.76 quilómetros quadrados e 119.86 quilómetros quadrados, respetivamente, declaram fontes oficiais do governo.

He Baoxiang, vice-governador de Hunan, disse que com o novo apoio político e apoiado por um grande número de fabricantes orientados para a exportação, projetos de construção e prestadores de serviços, o comércio livre em Hunan visa impulsionar o investimento direto de saída e a cooperação internacional, em particular com países africanos e aqueles relacionados com a iniciativa da Faixa e Rota.

A primeira zona de comércio livre que a China estabeleceu foi em Xangai, em 2013. Desde então, o país adicionou mais 20 zonas, desde áreas costeiras como Fujian e Guangdong a províncias do interior como Shaanxi e Sichuan.

Assine nossa Newsletter