Football Leaks: Inspetor em "pânico" após desaparecimento de objetos

Football Leaks: Inspetor da PJ em “pânico” após desaparecimento de objetos apreendidos a Rui Pinto

José Amador, inspetor da Policia Judiciária (PJ) e uma das testemunhas-chave no processo Football Leaks, disse esta terça-feira, em tribunal, ter sentido “estupefação”, “surpresa” e “pânico” ao constatar, na chegada a Lisboa, em janeiro de 2019, que dois dos 26 sacos com objetos apreendidos a Rui Pinto na Hungria tinham desaparecido.

Amador confirmou ter recebido da polícia húngara, ainda nesse país, um saco selado que julgava conter os 26 objetos apreendidos ao hacker. Quando aterrou em Lisboa, viu que apenas lá estavam 24. Um dos dois pacotes em falta continha documentos (não especificados pelo inspetor), ao passo que o outro incluía cabos com conectividade USB.

O inspetor da PJ, envolvido neste processo do Football Leaks, também revelou ter sido uma viagem do pai e da madrasta de Rui Pinto à Hungria que permitiu deter o hacker. As autoridades depararam-se, através de inteceções telefónicas ao pai de Rui Pinto, com um SMS contendo uma confirmação bancária para pagamento de uma viagem a Budapeste. Já na Hungria, foi montado um dispositivo policial no aeroporto que seguiu o pai do arguido (bem como a madrasta, que também viajou) até à morada do hacker, entao desconhecida pela Judiciária.

Leia mais em Jornal de Notícias

Artigos relacionados
DesportoPortugal

"Nem sabia que tinha email no Sporting." Jorge Jesus em tribunal no caso Football Leaks

PortugalSociedade

Ministério Público pede exibição do conteúdo dos discos rígidos de Rui Pinto

DesportoPortugal

Benfica rejeita "tentativa de instrumentalização" pela defesa de Rui Pinto

PortugalSociedade

Rui Pinto classifica Benfica como "um polvo de influência"

Assine nossa Newsletter