Governo brasileiro solidário com Neymar "em mais um caso de racismo"

Governo brasileiro solidário com Neymar “em mais um caso de racismo”

O Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos do Brasil expressou esta terça-feira “solidariedade” com o brasileiro Neymar, do PSG, expulso no jogo contra o Marselha, após um incidente que classificou como racismo, e protestou contra todo o tipo de discriminação.

“Diante de mais um caso de racismo no futebol”, indicou, em referência ao jogo entre o Paris Saint-Germain (PSG) e o Olympique de Marselha, o Ministério brasileiro reafirmou que “não é a primeira vez que (Neymar) é vítima de preconceito racial”.

Em comunicado oficial, a tutela “condenou veementemente todos os tipos de violência” e expressou o “repúdio” a “todos os episódios de discriminação com base na cor da pele”.

O texto também reitera “o compromisso” do Governo do presidente Jair Bolsonaro com “o fim do racismo no futebol e em toda a sociedade”.

A partida, disputada no último domingo em Paris, terminou com cinco jogadores expulsos, entre eles Neymar, que viu o cartão vermelho após acertar na cabeça do espanhol Álvaro González. Após o jogo, o jogador afirmou que tinha sido alvo de insultos racistas do defesa do Marselha, que negou as acusações.

Leia mais em Jornal de Notícias.

Artigos relacionados
Desporto

Guiné Equatorial anuncia Jorge Costa, mas treinador pode rumar à Roménia

Desporto

Benfica empresta Florentino ao Mónaco por um ano

DesportoMundo

Jogador mais rico do Mundo, filho do príncipe do Brunei, é reforço do Marítimo

BrasilDesporto

Governo do Brasil autoriza regresso dos adeptos aos estádios de futebol

Assine nossa Newsletter