Fundação Macau: anunciada reforma “profunda” na concessão de apoios

Fundação Macau: anunciada reforma “profunda” na concessão de apoios

Seis meses depois de o Comissariado de Auditoria ter criticado a insuficiente fiscalização da Fundação Macau às contas de beneficiários, a entidade anuncia uma reforma “profunda” na concessão de subsídios. Apoios superiores a 500 mil patacas devem ser acompanhados por um relatório financeiro elaborado por um contabilista ou auditor registado

Na passada segunda-feira, a Fundação Macau (FM) deu a conhecer o programa de apoio financeiro para actividades e projectos culturais a associações, e anunciou “a reforma profunda do seu regime de concessão de apoio financeiro”.

O presidente do conselho de administração da (FM), Wu Zhiliang, fez questão de frisar que a entidade vai “deixar de estar ‘aberta’ todo o tempo” a pedidos “e proceder de imediato à sua análise, passando a tomar a iniciativa de definir os temas de apoio e lançar programas para determinadas áreas”. A ideia é controlar a quantidade de candidaturas a subsídios.

Recorde-se que no passado dia 23 de Março, o Comissariado de Auditoria (CA) conclui haver “uma flagrante insuficiência” no acompanhamento e fiscalização da FM aos subsídios atribuídos. A Auditoria exemplificou a falta de controlo na atribuição de fundos com atrasos na entrega dos relatórios de actividades de beneficiários, bem como a garantia da integridade das informações declaradas.

Leia mais em Hoje Macau

Este artigo está disponível em: 繁體中文

Artigos relacionados
EconomiaMacau

Racionalização orçamental e serviços a ‘meio gás’ afetam apoios da Fundação Macau

Uncategorized

UNESCO quer avaliar impacto da crise na Cultura e criar medidas comuns de apoio

Cultura

Ancine vai destinar recursos para socorrer cinemas impactados por coronavírus

Economia

Apoios aos média anunciados "esta semana"

Assine nossa Newsletter