Fumo dos incêndios da Califórnia chega à Europa - Plataforma Media

Fumo dos incêndios da Califórnia chega à Europa

O fumo dos incêndios “sem precedentes” que devastam áreas da costa oeste dos Estados Unidos chegou à Europa. A oito mil quilómetros de distância.

Dados de satélite do Serviço de Monitorização da Atmosfera Copernicus (CAMS) mostraram que os incêndios florestais que atualmente assolam a Califórnia, Oregon e Washington são “dezenas a centenas de vezes mais intensos” do que a média recente.

Graças aos sistemas de forte pressão, o fumo dos incêndios ficou preso ao longo da parte oeste da América do Norte durante dias, tornando a qualidade do ar potencialmente perigosa em grandes cidades como Portland, Oregon e Vancouver e São Francisco.

Mas as condições climatéricas mudaram na segunda-feira, levando o fumo para o Leste ao longo da corrente. O site NY Metro Weather disse nesta terça-feira que era visível nos céus de Nova Iorque.

O CAMS disse que rastreou o transporte de longo alcance de partículas de fumo dos incêndios até 8.000 quilómetros a leste – alcançando o norte da Europa.

Estima-se que os incêndios, que são significativamente mais prováveis ​​de ocorrer à medida que o planeta aquece, lançaram para a atmosfera mais de 30 milhões de toneladas de dióxido de carbono desde meados de agosto.

“A escala e a magnitude desses incêndios estão num nível muito maior do que qualquer um dos que analisamos ao longo de 18 anos de análise dados”, disse Mark Parrington, cientista do CMAS e especialista em incêndios florestais.

“Estes incêndios estão a emitir tanta poluição na atmosfera que podemos ver um fumo denso a mais de 8.000 quilómetros de distância o que reflete o quão devastadores são pela sua magnitude e duração.”

Artigos relacionados
BrasilSociedade

'Chuva negra’, o fenómeno que pode atingir São Paulo este fim de semana

ChinaEconomia

China anuncia mecanismos para limitar atividades de empresas estrangeiras

MundoPolítica

Morreu Ruth Bader Ginsburg, a juíza das minorias nos EUA

EconomiaMundo

O plano de Bruxelas para recuperar a Europa depois da pandemia

Assine nossa Newsletter