OMS diz que comida não é fonte de contágio apesar de amostras encontradas em frango - Plataforma Media

OMS diz que comida não é fonte de contágio apesar de amostras encontradas em frango

 A Organização Mundial de Saúde (OMS) afirmou hoje que as pessoas “não devem recear a comida ou as embalagens de comida” como fontes de contágio de covid-19, apesar de vestígios do novo coronavírus terem sido encontrados em asas de frango importadas do Brasil

O jornal oficial do Partido Comunista Chinês (PCC) noticiou hoje que o SARS-Cov-2, o coronavírus que provoca a doença covid-19, foi encontrado em asas de frango congeladas importadas do Brasil para a cidade de Shenzhen, no sul da China, mas que todo o pessoal das alfândegas que entrou em contacto com as amostras foi testado e deu negativo.

“Não há provas de que os alimentos ou a cadeia alimentar estejam a participar na transmissão deste vírus”, salientou o diretor executivo do programa de emergências sanitárias da OMS, Michael Ryan.

A principal responsável técnica da OMS no combate à covid-19, Maria van Kerkhove, esclareceu que a China “testou cerca de cem mil embalagens” de comida à procura do novo coronavírus, mas que só o encontrou em “menos de dez”.

“Sabemos que [o vírus] pode permanecer em superfícies durante algum tempo, mas pode ser inativado lavando as mãos ou usando uma solução à base de álcool”, indicou, acrescentando que a OMS emitiu orientações para os trabalhadores de instalações fabris de processamento de alimentos para evitar a transmissão.

Michael Ryan ressalvou que é importante “não descartar provas científicas”, mas que é “igualmente importante que as pessoas possam continuar a viver sem medo”.

“As pessoas já estão suficientemente assustadas e com medo”, declarou, reiterando que não há qualquer indicação científica de transmissão do novo coronavírus através de alimentos.

Artigos relacionados
BrasilPolítica

Um em cinco moradores de São Paulo admite não votar por medo do coronavírus

Cabo VerdeSociedade

Covid-19: Turismo parado levou cabo-verdianos de Chã das Caldeiras a pegarem nas enxadas

DesportoMacau

Michael Rutter: “Com quarentena de 14 dias não vamos ao Grande Prémio de Macau”

FuturoSociedade

Ataque autoimune é responsável por 10% dos casos graves de Covid-19, diz estudo

Assine nossa Newsletter