Desemprego na pandemia é à custa de trabalhadores mais pobres - Plataforma Media

Desemprego na pandemia é à custa de trabalhadores mais pobres

Desapareceram 184 mil pessoas nos três escalões salariais mais baixos. Destes, 85% (156 mil empregados) ganhavam 600 euros líquidos ou menos, de acordo com o Instituto Nacional de Estatística.

A destruição de emprego provocada pela pandemia, em Portugal, foi toda à custa dos trabalhadores por conta de outrem mais pobres, os que ganham salários inferiores a 600 euros líquidos mensais.

Em contrapartida, o número de empregados que auferem salários mais elevados até aumentou no segundo trimestre deste ano face a igual período de 2019.

Leia mais em Dinheiro Vivo

Artigos relacionados
MundoSociedade

Johnson & Johnson anuncia testes finais de vacina em oito países

MundoSociedade

Europa ultrapassa os 5 milhões de casos de Covid-19 e endurece restrições

PortugalSociedade

Ministério contratou 4406 profissionais de saúde durante a pandemia. Só 164 são médicos

MacauSociedade

Pedidos de desemprego em Macau quase triplicaram até agosto

Assine nossa Newsletter