China quer silenciar - Plataforma Media

China quer silenciar

Foi útil nos 42 dias após a entrada em vigor da Lei de Segurança Nacional de Hong Kong.

A 10 de agosto, a polícia de Hong Kong invade e detém o fundador do Apple Daily, Jimmy Lai, os seus dois filhos e quatro executivos, Andy Li, membro da Missão de Observação Eleitoral, Wilson Li Chung-chak, um ex-membro do grupo de ativista estudantil agora dissolvido, e a ex-ativista estudantil Agnes Chow Ting.

10 pessoas foram acusadas de conluio com forças estrangeiras, conspiração para defraudar, incitamento e lavagem de dinheiro.

Para Pequim, não importa do que são acusados. Não importa quem sejas. Todos são apanhados. Na era da internet, onde rapidamente nos informamos, prender dez pessoas é um sinal para todos os outros que possam “ser levados à justiça” por Pequim.

É evidente que a detenção do fundador dos meios de comunicação social causou grandes danos à liberdade de expressão, mas quantas pessoas acarinharam esta liberdade?

Em Macau, a maioria das pessoas não entende e não quer a liberdade de expressão, ou para eles, desde que não falem mal da pátria, têm “liberdade de expressão”

Sob o Covid-19, todos usam máscaras para evitar que as gotículas espalhem o vírus e, ao mesmo tempo, mantêm a boca fechada para evitar espalhar a liberdade, e como consequência garantem a saúde e a segurança.

*Jornalista do PLATAFORMA

Este artigo está disponível em: English 繁體中文

Artigos relacionados
Opinião

Pedido de desculpas falhado

Opinião

Testes à Covid-19

Opinião

1 de julho

Opinião

Pandemia e inundação

Assine nossa Newsletter