O “Rei da selva” está em risco - Plataforma Media

O “Rei da selva” está em risco

O Panthera leo, mamífero carnívoro da família Felidae, que pode ser encontrado na África Subsahariana e na Ásia – cujo mais antigo registo fóssil, achado na Garganta de Olduvai, na Tanzânia, data do Pleistoceno Inferior, cerca de 1,5 milhões de anos -, conheceu nos últimos 50 anos uma verdadeira razia, devido à caça ilegal e à destruição do seu habitat. Estima-se que existam apenas 20 mil indivíduos no Mundo.

Estudos apontam que a Panthera leo, de que existe outro registo, feito em Laetoli, também na Tanzânia, datado de 3,5 milhões de anos, embora com identificação incerta, apontado por interpretações como uma espécie mais primitiva dentro do género, pode ter evoluído em África, entre um milhão e 800 mil anos atrás, e migrado para outras regiões do Planeta.

Há cerca de 10 mil anos, o leão era o grande mamífero terrestre mais difundido depois dos humanos. Animal possante, cujos machos podem exceder os 250 quilos, o leão só é ultrapassado pelo tigre como o maior felino, mas Simba é a fera emblemática da Terra, essência da vida selvagem. Este animal corre o risco de se extinguir em pouco tempo. Da população actual, apenas quatro mil são machos.

Leia mais em Jornal de Angola

Artigos relacionados
EconomiaFuturo

"No que respeita ao oceano, Portugal caminha a duas velocidades", aponta especialista em economia azul

MacauSociedade

Protecção ambiental adia metas para redução de plásticos

FuturoMundo

Vêm aí os aviões movidos a hidrogénio. Airbus desenvolve três conceitos

BrasilOpinião

A culpa do desmatamento na Amazónia é de todos

Assine nossa Newsletter