Ameaças de patrões afastam emigrantes de férias em Portugal -

Ameaças de patrões afastam emigrantes de férias em Portugal

Não vai ser um “querido mês de agosto” para metade dos portugueses que seriam esperados a partir de sábado nas fronteiras nacionais e que este ano decidiram não vir.

Há quem alegue quebra de rendimentos e medo de contrair o vírus com as deslocações, mas também há quem tenha sido pressionado pelos patrões estrangeiros a não viajar.

As ameaças denunciadas pelas comunidades portuguesas da Suíça e Alemanha dão conta que muitos patrões “aconselharam” os portugueses a não virem de férias a Portugal em agosto, advertindo-os de que não seriam pagos e estariam a pôr os seus empregos em risco caso tivessem de fazer quarentena no regresso.

A pressão é injustificada, pois a esmagadora maioria dos países onde existem grandes comunidades de emigrantes portugueses não tem qualquer restrição nas fronteiras, aéreas ou terrestres. Ainda assim, a simples ameaça demoveu uma parte dos emigrantes, como confirma ao JN a secretária de Estado das Comunidades Portuguesas (ver entrevista) e representantes de comunidades espalhadas pela Suíça.

Leia mais em Jornal de Notícias

Artigos relacionados
BrasilDesporto

Rio de Janeiro anuncia regresso do público aos estádios de futebol

MundoSociedade

Rússia pronta para vender primeiro medicamento contra a covid-19 em farmácias

PortugalSociedade

Portugal regista mais 780 casos de covid-19 e 6 mortes em 24 horas

PolíticaPortugal

"Na próxima semana, chegaremos a mil novos casos por dia"

Assine nossa Newsletter

Vale a pena ler...
Plástico nos oceanos pode chegar a 600 milhões de toneladas em 2040