“Interesses económicos” alimentam a violência em Cabo Delgado - Plataforma Media

“Interesses económicos” alimentam a violência em Cabo Delgado

O antigo secretário-executivo da CPLP, Murade Murargy, considera que os ataques em Cabo Delgado, no Norte de Moçambique, têm, por detrás da questão religiosa, interesses económicos, para os quais o início da exploração do gás “constitui um perigo”.

“Como é que esta situação (dos ataques em Cabo Delgado) surge num momento em que são descobertas grandes reservas energéticas naquela região. Essa é a questão que se coloca. Quais são os interesses que estarão em jogo?”, questionou o embaixador, que foi também chefe da Casa Civil do Presidente moçambicano, Joaquim Chissano e secretário-executivo da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP). Murargy salientou, em entrevista à Lusa, que só há duas entradas por onde pode ser feita a penetração de forças na região de Cabo Delgado, o mar e a fronteira com a Tanzânia.

“Isto começou por ter uma componente religiosa e depois transformou-se numa componente económica. Os primeiros ensaios da invasão foram feitos através das chamadas madraças (escolas islâmicas), que queriam correr com a administração da Frelimo e introduzir o islamismo, o Corão. Começou por um movimento dessa natureza”, afirmou o diplomata.

Leia mais em Jornal de Angola

Este artigo está disponível em: English

Related posts
MoçambiqueMundo

Serviços de saúde em Moçambique recusam grávidas em fuga

LusofoniaMoçambique

Galp aponta paz como condição para investimentos em Moçambique

LusofoniaPolítica

Presidente da República ratificou acordo de mobilidade da CPLP

MoçambiquePolítica

Milicianos matam dois supostos insurgentes

Assine nossa Newsletter