Apenas 0,19% dos vistos gold serviram para criar emprego - Plataforma Media

Apenas 0,19% dos vistos gold serviram para criar emprego

Desde outubro de 2012 até junho de 2020, só 17 das 8907 autorizações de residência para investimento (ARI) – mais conhecidas como vistos gold – foram atribuídas para a criação de postos de trabalho.

A aquisição de bens imóveis (de valor igual ou superior a 500 mil euros) e a reabilitação urbana (a partir de 350 mil euros) são responsáveis por 94% (8389) das ARI, representando mais de 90% do investimento total que, em oito anos, foi superior a cinco mil milhões de euros. A utilização deste recurso para a obtenção de residência no país ainda é bastante elevada, mas tem vindo a descer desde 2014, ano em que o investimento ultrapassou os 921 milhões de euros, de acordo com os dados do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF).

A criação do programa no Governo Passos/Portas teve como objetivo principal a captação de investimento e a criação de emprego. Mas quanto a esta última, o resultado foi residual: 0,19% do total. A lei determina que, para cada ARI sejam criados, no mínimo, dez postos de trabalho. Ao que o JN apurou, foram criados 213 empregos, distribuídos por 16 empresas (para uma delas foram concedidas duas ARI). Cerca de metade estão na região de Lisboa e há algumas ligadas ao imobiliário e construção civil. Nesta modalidade, é pedida uma certidão de inscrição dos trabalhadores na Segurança Social, sem ser necessária transferência de dinheiro.

Leia mais em Jornal de Notícias

Related posts
ChinaEconomia

JP Morgan acredita que investidores podem regressar a Macau

BrasilEconomia

Desemprego no Brasil continua em queda, um mês antes de Lula chegar ao poder

EconomiaPortugal

Portugal vai apoiar Timor-Leste para desbloquear travões ao investimento estrangeiro

PolíticaPortugal

Portugal empenhado em criar condições para mais investimento em Timor-Leste

Assine nossa Newsletter