Angola: Dois cidadãos/mês são mortos pela polícia em época de Covid-19 - Plataforma Media

Angola: Dois cidadãos/mês são mortos pela polícia em época de Covid-19

Desde que a Pandemia de Covid-19 entrou no país, em Março, perto de uma dezena de cidadãos perdeu a vida por disparos de arma de fogo envolvendo agentes da Polícia Nacional, de acordo com uma contagem paralela de O PAÍS, o que perfaz uma média de dois cidadãos por mês. Para o sociólogo Carlos Conceição, muitos agentes não passaram por um processo sólido de instrução, o que pode estar na base deste problema

O mês de Março começou com um tumulto, no dia 9, na zona dos Quarteis, nas proximidades do Distrito de Recrutamento Militar de Luanda, na Maianga, quando centenas de jovens se deslocaram ao local em busca de uma vaga nas Forças Armadas Angolanas (FAA).

Do tumulto, que envolveu efectivos da Polícia e das FAA, resultou na morte de um jovem, no local, a tiro, e no ferimento de outro.

No dia 12 do mesmo mês, no bairro Candombe velho, periferia da cidade do Uíge, um jovem de 27 anos foi morto por disparo de arma de fogo, em acto foi atribuído a um agente da corporação. A Polícia local, na altura, disse que o acto foi acidental e que os agentes foram chamados a intervir numa discussão entre moradores do referido acto.

Leia mais em O País

Artigos relacionados
BrasilEconomia

Guedes diz que Brasil “volta aos trilhos” com criação de empregos

AngolaSociedade

Covid-19: Professores retidos em Luanda começam a ser testados em breve

PortugalSociedade

Regras para 13 de outubro em Fátima. Lotação do santuário limitada a seis mil pessoas

AngolaSociedade

Uso da máscara é uma barreira para pessoas surdas em Angola

Assine nossa Newsletter