Japão e ONU unidos por Cabo Delgado - Plataforma Media

Japão e ONU unidos por Cabo Delgado

O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) da ONU e o Governo do Japão lançaram hoje um projeto para a prevenção de conflitos em Cabo Delgado, província de Moçambique afetada pela violência armada

O projeto, apoiado pelo Governo do Japão, visa criar mecanismos de paz, coesão social e a prevenção de conflitos e será coordenado pelo PNUD, em parceria com o Ministério do Interior de Moçambique.

“O Governo do Japão decidiu apoiar principalmente grupos populacionais e comunidades deslocadas com as tensões existentes devido a conflitos violentos, melhorando assim a consciencialização sobre a prevenção da violência e a capacidade de subsistência em Cabo Delgado”, disse o embaixador nipónico em Maputo, Kimura Hajime, citado na nota.

Também o representante residente da PNUD da ONU em Moçambique, Francisco Roquete, destacou a importância do apoio às populações de Cabo Delgado, principalmente as mais jovens e as mulheres.

“Através deste projeto, prevemos não apenas conter os conflitos em curso, mas também criar ambientes propícios em que as comunidades possam desfrutar do desenvolvimento social e económico de uma maneira sustentável”, declarou.

Cabo Delgado, província onde avança o maior investimento privado de África para exploração de gás natural, está sob ataque desde outubro de 2017 por insurgentes, classificados desde o início do ano pelas autoridades moçambicanas e internacionais como uma ameaça terrorista.

As incursões de grupos armados nos últimos dois anos e meio naquela província já provocaram a morte de, pelo menos, 700 pessoas.

A capital provincial (Pemba) tem sido o principal refúgio para as pessoas provenientes dos distritos afetados, localizados mais a norte da província, mas há quem prefira fugir para outros lugares, incluindo Nampula, província vizinha.

Related posts
Desporto

Japão suspenderá estado de emergência um mês antes dos Jogos de Tóquio

Desporto

Ameaça de expulsão para atletas que violam as regras anticovid em Tóquio

Mundo

"Modo de vida de mais de três mil milhões de pessoas depende dos oceanos”

PolíticaPortugal

Guterres recebe luz verde para segundo mandato à frente da ONU

Assine nossa Newsletter