Incêndio atinge Museu de História Natural de Minas Gerais - Plataforma Media

Incêndio atinge Museu de História Natural de Minas Gerais

Um incêndio destruiu parte do prédio que abriga o Museu de História Natural e o Jardim Botânico da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), em Belo Horizonte, capital do estado brasileiro de Minas Gerais.

O incêndio começou por volta das 06:00 locais e foi controlado ainda de manhã, segundo informações do Corpo de Bombeiros.

O portal de notícias G1 informou que o trabalho de rescaldo do incêndio precisou de ser feito com cuidado para preservar o acervo, formado por mais de 260 mil itens, entre peças de arqueologia, paleontologia, cartografia histórica, arte popular, etnografia, botânica, geologia, zoologia e uma biblioteca.

O local também guarda o Presépio do Pipiripau, do artista Raimundo Machado.

Este presépio é considerado um tesouro da arte popular brasileira do século XX, tem 586 peças e apresenta 45 cenas, que contam a vida de Jesus Cristo.

A obra não foi atingida pelo fogo já que estava num outro local.

Mariana Lacerda, diretora do museu da UFMG, disse ao portal de notícias que a sua equipa ainda “não tem muita informação sobre o alcance e as perdas que o incêndio vai ocasionar” e que “o momento é [de] aguardar a ação dos bombeiros”.

“O que foi afetado é uma parte do prédio central da administração, principalmente três salas da reserva técnica onde ficam as coleções que não estão em exposição, afetou uma parte muito importante do museu, mas a gente só vai ter a dimensão depois que a perícia acontecer”, acrescentou.

A UFMG informou que deve criar uma comissão de professores e especialistas para avaliar os prejuízos.

Este artigo está disponível em: English

Related posts
PortugalSociedade

Cinco feridos após explosão em prédio de Lisboa. Há uma pessoa desaparecida

Hong KongSociedade

Pelo menos sete mortos e sete em estado crítico num incêndio em Hong Kong

SociedadeTimor-Leste

Um ferido em incêndio de grandes proporções em armazém em Díli

BrasilSociedade

Amazónia brasileira registou este ano o maior número de incêndios desde 2010

Assine nossa Newsletter