Operadora de jogo em Macau Sands China não recomenda distribuição de lucros de 2019 - Plataforma Media

Operadora de jogo em Macau Sands China não recomenda distribuição de lucros de 2019

Na reunião do conselho de administração “os membros decidiram não recomendar o pagamento de um dividendo final referente ao exercício encerrado em 31 de dezembro de 2019”, de acordo com um comunicado.

O conselho de administração “reconhece o impacto material atual e potencial (…) da pandemia na economia global e o importante papel que a empresa desempenha na ajuda a Macau”, indicou a operadora, que explora cinco casinos na capital mundial do jogo.

“A companhia possui um forte capital, financiamento e liquidez e continua comprometida com a execução dos seus investimentos em curso em Macau”, sublinhou a mesma nota.

De acordo com os dados divulgados esta semana pela Direção de Inspeção e Coordenação de Jogos (DICJ), as receitas brutas do jogo VIP no primeiro trimestre deste ano caíram em Macau mais de 60% em relação a igual período do ano passado.

As receitas angariadas nas salas de grandes apostas nos três primeiros meses do ano foram de 14,8 mil milhões de patacas (1,7 mil milhões de euros), contra os 37,2 mil milhões de patacas (4,3 mil milhões de euros) angariados no primeiro trimestre de 2019.

Na terça-feira, o Fundo Monetário Internacional (FMI) estimou que a economia de Macau deverá regredir 29,6% este ano, devido à pandemia da Covid-19.

Com uma economia altamente dependente do jogo, Macau viu as receitas totais do jogo caírem em março 79,7%, em relação a igual período de 2019, mês em que medidas para conter o surto da Covid-19 praticamente encerraram as fronteiras do território.

Os últimos dados oficiais apontam também uma descida de 60% nos três primeiros meses do ano, depois de em fevereiro se terem registado perdas históricas nas receitas do jogo, num mês em que os casinos estiveram fechados durante 15 dias.

Os casinos de Macau fecharam 2019 com receitas de 292,46 mil milhões de patacas (cerca de 32,43 mil milhões de euros).

Macau, que identificou 45 infetados desde o início do surto do novo coronavírus, não regista novos casos há uma semana.

Após uma primeira vaga de dez casos em fevereiro, o território esteve 40 dias sem identificar qualquer infeção. Contudo, a partir de meados de março foram identificadas mais 35 pessoas infetadas, todos casos importados. Do total de infetados, 16 já receberam alta hospitalar.

A nível global, a pandemia de Covid-19 já provocou mais de 145 mil mortos e infetou mais de 2,1 milhões de pessoas em 193 países e territórios.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Para combater a pandemia, os governos mandaram para casa quatro mil milhões de pessoas (mais de metade da população do planeta), encerraram o comércio não essencial e reduziram drasticamente o tráfego aéreo, paralisando setores inteiros da economia mundial.

Related posts
EconomiaMacau

Novas regras afectam confiança dos investidores

Macau

Receitas caíram quase 80 por cento em 2020

Macau

Novas restrições na China podem trazer mais dificuldades ao setor VIP

EconomiaMacau

Receitas de massas representaram dois terços do total

Assine nossa Newsletter