Morreu Sarah Maldoror, pioneira do cinema africano - Plataforma Media

Morreu Sarah Maldoror, pioneira do cinema africano

O pai era da caribenha ilha de Guadalupe, a mãe do sul de França, e o nome que Sarah se deu adulta homenageava o poeta franco-uruguaio Lautréamont, autor de Os Cantos de Maldoror. A cineasta Sarah Maldoror morreu hoje, 13 de abril, em Paris, vítima do coronavírus, aos 91 anos. Sarah Maldoror foi casada com o poeta e político angolano Mário Pinto de Andrade, fundador e primeiro presidente do MPLA.

Em 1956, então dedicada ao teatro, Sarah Maldoror fundou Les Griots, a primeira companhia de atores africanos e caribenhos em Paris. Para lutar contra os exclusivos “papéis de serva”, pretendia ela. Na costa ocidental de África, “griot” é aquele que anda pelas aldeias a contar histórias, por palavras ou música. A companhia teatral privilegiava autores africanos e uma das suas primeiras produções foi A Tragédia do Rei Christophe, de Aimé Césaire, fundador com Senghor do movimento “négritude”, corrente literária marcante a meados do séc. XX, pela cultura africana e anti-colonialista.

Leia mais em Diário de Notícias

Artigos relacionados
PortugalSociedade

Investigação conclui que inspetores mataram ucraniano à pancada

MundoSociedade

"Por favor, parem. Estou a sufocar."

MundoSociedade

Francês quer transmitir ao vivo a sua morte após recusa de eutanásia

DesportoPortugal

Faleceu Dito, antigo jogador de Benfica e FC Porto

Assine nossa Newsletter