O top das notícias falsas sobre a Covid-19 em África - Plataforma Media

O top das notícias falsas sobre a Covid-19 em África

1. As vacinas são testadas em africanos

Mentira. Este rumor surgiu como notícia nas redes sociais, de que os africanos iriam ser usados como cobaias no teste a uma vacina do coronavírus. Obviamente e como se sabe, ainda não há qualquer vacina para a Covid-19 e apenas um estrito número de ensaios clínicos estão a ser realizados e nenhum deles tem lugar em África. A suportar este rumor, há vídeos no youtube com mais de 20.000 visualizações, incluindo o de uma africana a falar francês apelando aos “irmãos” do continente para “não tomarem uma vacina que já está a ser dada a todos os africanos e a nenhum ocidental”.

2. A pele negra é resistente à Covid-19

Falso. Mas tem havido várias publicações nas redes sociais a reforçar esta ideia de que a pele negra é imune ao vírus. A 13 de março o ministro da Saúde do Quénia teve de vir a público desmentir rumores de que “as pessoas de raça negra não podem apanhar o coronavírus”. Como disse à BBC o ProfessorThumbi Ndung’u, da Escola de Medicina Nelson Mandela de Durban, “não há qualquer prova científica para sustentar essa ideia e temos por facto que há pessoas de pele negra que já estão infectadas”.

3. Uma chávena de chá preto cura o coronavírus

Se fosse assim tão simples já todos teríamos aderido ao chá preto, até os que não gostam de chá. Mas acreditem ou não, esta notícia falsa tem sido difundida pelos media locais no Quénia. É um mito, obviamente, e sem qualquer base científica a suportá-lo.

4. Fazer a barba impede o avanço do vírus

Falso. Um velho gráfico das autoridades sanitárias dos EUA sobre pelos faciais e máscaras respiratórias foi usado indevidamente ​​para espalhar a falsa informação de que os homens sem barba não apanhariam coronavírus. Em determinados media na Nigéria foi mesmo dado como notícia. Aliás, o gráfico do Centro de Controlo de Doenças (CDC) norte-americano foi também replicado nos media europeus: faltou foi informar que é de 2017 e que a sua informação nada tinha a ver com a Covid-19.

5. Um pastor evangélico nigeriano capaz de destruir o vírus

Circularam histórias nas redes sociais em África de que o pastor evangélico David Kingleo Elijah, do Monte Glorioso da Igreja da Possibilidade, tinha a cura para o vírus, depois de ser divulgado um vídeo dele no Youtube a dizer que ia para a China “destruir” o coronavírus. “Vou destruir profeticamente o vírus, vou à China e irei destrui-lo”, diz o pastor no vídeo. Dias depois, sugiram notícias de que ele de facto viajou para a China onde foi hospitalizado depois de ter sido infectado com o vírus.

6. Beber sopa de pimenta mata o coronavírus

Para além de soar a mistela intragável, obviamente que a sopa de pimenta não mata o vírus. A informação foi posta a circular em vídeo por um pastor nigeriano e chegou ao Whatsapp. Apesar de ser uma receita tradicional nigeriana, não há qualquer evidência científica de que a sopa de pimenta tenha outras propriedades que não seja a causar cólicas a quem não esteja habituado ao seu sabor.

Related posts
MundoSociedade

Seis em cada sete infecções de Covid-19 em África não são detetadas

MundoSociedade

Metade dos recuperados apresentam sintomas de “covid longa”

MacauSociedade

Há novas regras para quem viaje para Macau

MundoSociedade

Vírus não está controlado nem pandemia vencida, alerta OMS

Assine nossa Newsletter